Ética no WhatsApp

O post de hoje vai ser mais um daqueles que considero quase uma utilidade pública!  A ideia do tema surgiu na aula que estava dando na disciplina que leciono de Comunicação Gerencial II no Curso Técnico de Informática pelo Pronatec. Ao tratar de conceitos como moral e ética com meus alunos (que são adolescente entre 15 e 17 anos) tentei trazer o conteúdo e sua aplicação para o nosso dia a dia, principalmente em relação aos novos meios de comunicação e ferramentas que utilizamos no ambiente de trabalho atualmente. E foi inevitável não falar no “tal” WhatsApp!

zap-zap

É o terror de alguns, e salvação de outros. Há quem ame, e quem ame ainda mais (!). Não há dúvidas que o aplicativo veio para ficar e é muito útil na nossa rotina atualmente. O popularização do smartphone/tablets já é uma realidade e são poucos os que não tem (e as vezes por opção mesmo, como por exemplo meu pai que não quer). Eu mesma demorei para ter, por pura pirraça mesmo, e hoje não vivo mais sem. Mudou e muito minha rotina, não posso negar. E é claro que já pensei: porque não comprei isso antes! kkkkkk

plm-whatsapp-collaboration

E onde tem Wi-Fi, tem comunicação. Certo?! Até certo ponto sim, mas fico pensando se não estamos ultrapassando os limites algumas vezes. Será que todo mundo usa o aplicativo com ÉTICA!? Lendo um pouco sobre o assunto, trocando ideia com alguns amigos e através das minhas percepções pessoais, preparei uma série de dicas que podem nos ajudar nesse quesito:

  • Evite abreviações: ninguém o obrigado a saber o que PV, CSV, OBG, MDS, e por ai vai. Não custa tanto tempo assim escrever a palavra completa, o corretor até ajuda. Se a conversa é entre amigos, não tem problema – se vocês se entendem, ótimo –  mas se for alguma conversa profissional, evite.
  • Limite os áudios: se você está enviando um áudio para uma amiga, e ela responde com outro, e em dois minutos vocês trocaram 10 mensagens, eu te pergunto, porque mesmo você não ligou?! Se for pra bater papo, liga gente! E não vem com a desculpa que não tem crédito porque o aplicativo agora também faz ligações.
  • WhatsApp não substitui e-mail: hoje já tem muita gente que compra/vende pelo aplicativo e muitos negócios deslancharam com o uso, mas tudo tem limite. O bom e velho e-mail não deve ser abandonado. Você organiza os assuntos e não corre o risco de esquecer de atender alguma solicitação no meio de tantas conversas.
  • Evite emojis suspeitos: se a conversa é profissional evite emojis, ele é um complemento, e não deve substituir a sua resposta. Precisa falar que aqueles de beijinhos e corações nos olhos também devem ser evitados? Use apenas com quem tenha intimidade e não vá fazer uma interpretação errônea da sua resposta. A não ser que essa seja sua intenção…
  • Cuidado com o corretor: não escreva e envie de uma vez. Leia antes. O corretor prega muitas peças as vezes, e pode gerar um desentendimento se você não perceber na hora ou envio de mais mensagens sem necessidade. Eu já mandei muito “Eu” no lugar de “Ei” …
  • Se for importante, só ao vivo: tem que coisa que não dá gente, tem que ser cara a cara. Evite conversas de duplo sentindo e suspeitas que possam te comprometer. Os prints e as “revenge porn” (publicar fotos/vídeos íntimas na rede como vingança) estão ai e não me deixam mentir. Você não vai querer que sua cantada tosca ou conversa com alguém comprometido circule em grupos como piadas né?

whatsapp.jpg1

Falando em grupos… Você pode até falar que não gosta, mas são inevitáveis. Eu particularmente evitei o máximo que pude e mesmo assim estou em 6. E é nos grupos que a gente percebe-se ainda mais a importância da ética no WhatsApp, veja as dicas e entenda porque:

  • Atenha-se ao tema: não há nada pior que abrir o aplicativo e dar de cara com 254 mensagens em um dos grupos só porque você ficou 5horas off line. E depois ainda descobrir que perdeu uma informação realmente importante porque não teve tempo/paciência de reler tudo para ver o que realmente prestava. É claro que temos exceções que são os grupos de amigos e família que o objetivo é só conversar atoa mesmo, mas se o grupo tem um objetivo central, tente não fugir dele. Fale somente o necessário. #menosémais
  • Fotos de Acidente e/ou pornografia: esse tópico complementa o anterior! Não há nada mais desagradável do que baixar imagens enviadas no grupo e dar de cara com um rosto deformado, alguém sem perna ou montagens escrotas de pornografia. Podem me chamar de velha, mas não acho graça nessas coisas. Ou seja, se for no grupo, evite.
  • Escreva tudo e só depois envie: sabe porque os grupos tem tantas mensagens? Porque muitas vezes somos incapazes de pensar e digitar tudo para depois enviar. Evite mini diálogos em grupos do tipo “Ei Pessoal”; “lembra da reunião”; “vai ser na casa da Carla”; “na ilha”; “as 19h”; “não faltem”. Observem que foram SEIS mensagens, enquanto poderia ser apenas uma “Pessoal, passando só pra lembrar da reunião hoje as 19 na casa da Carla na Ilha. Se possível não faltem”. Pode acreditar em mim, não é tão difícil assim. Se todos fizessem isso os grupos não teria tantas mensagens e todo mundo ficaria avisado do que realmente importa.

Estamos todos combinados? Gostaram da dicas? Se tiver mais alguma para acrescentar ou discordar de alguma fique à vontade. No final da página você pode comentar através do seu login no Facebook e eu respondo bem rapidinho, pode acreditar 🙂

Um abraço, Anap

 

Comments

comments

Ana Paula Cândido

Prazer, meu nome é Ana Paula! Obrigada pela visita em meu blog :) Dúvidas, críticas ou sugestões? Fique à vontade para comentar. Ficarei feliz com sua contribuição!