Espero que esse ano dê tudo errado…

Ei, não se assuste, você realmente leu o título desse post certo. Dar errado é o que eu espero desse ano de  2017! O primeiro trimestre do ano acabou de acabar e eu sempre paro para dar uma analisada nas metas que defini para o ano (lá no meu planner! kkk), o que eu preciso fazer, no que focar, os próximos passos, etc. E faz parte do processo decidir o que continua e o que fica. Pois bem, decidi que eu vou desistir do blog. E se você quer entender o porquê e o como disso tudo, continue lendo esse texto.

Dia desses numa discussão em família aqui em casa meu irmão mais velho, Vinícius pra que não conhece, falou que ‘fica preocupado’ com as minhas reações diante das adversidades, porque eu me planejo e organizo tanto, e reclamo tanto em relação ao que não dá certo, que parece que nada, NUNCA, pode dar errado. Ele chegou a comentar a situação com exagero: “tenho até medo de você cometer um suicídio”. É claro que o fim da discussão foi eu saindo chorando e deixando todo mundo falando sozinho. Ou seja, a prova de que ele estava certo.

Não que eu tenha tendências suicidas, mas entendi e concordei exatamente com o que ele falou. Pelo menos aqui na nossa cidade, temos tidos casos de suicídios revoltantes, de pessoas novas e aparentemente bem em vários aspectos da vida e simplesmente tiraram a própria vida. E a gente fica só se perguntando, o que leva uma pessoa a fazer isso! É muito desespero né? Será a cobrança da sociedade, pressão por um formato de vida ideal, no formato ‘sucesso sempre’?

Eu costumo dizer que fui criada com base na Qualidade Total, isso por parte do meu pai né gente. Ele me dava revistas em quadrinhos da revista Banas da Qualidade, em que ensinava crianças os princípios da qualidade total. Ou seja, eu fui uma criança que arrumava o quarto, com o pensamento japonês de qualidade… (Já falei sobre esses princípios no blog, aqui).

Continuando… agora eu percebi que o meu perfeccionismo (que já estou lutando para diminuir cada vez mais, porque ‘feito é melhor que perfeito’) me atrapalha muito. Sou muito organizada, defino etapas, metas, e objetivos e depois executo. Só que a cada planejamento meu, eu venho cometendo um erro gravíssimo. Eu não me permito errar! Como se só o fato de planejar fosse a garantia de sucesso. E que o fracasso não fosse uma possibilidade.

É claro que eu não estou desmerecendo o planejamento, até porque ele é um dos pilares da minha formação, Administração. Mas estou falando sobre resultado & expectativa.  Sobre literalmente, pirar o cabeção, só porque tudo não saiu como planejado. Aceitar o fato de que erro não é fracasso, e sim um resultado, tal como o sucesso era a outra opção possível, numa probabilidade de 50% de erro e acerto, tipo cara ou coroa sabe?

E por isso que diante de tudo que já falei até agora, eu preciso que esse 2017 que dê tudo errado. Que nem tudo seja perfeitinho do jeito que eu imaginei, e que eu possa viver mais os momentos, e me desapegar dos resultados, sejam eles positivos ou negativos. E que eu sofra mais e aprenda com sentimentos que me façam sair da minha zona de conforto. Que eu, Ana Paula, me permita errar sem achar que isso é o fim do mundo. E que eu pare de achar que um erro, fere ou invalida todas as minhas qualidades.  Um erro não me torna uma incompetente.

Ai você me pergunta, depois de falar tanta abobrinha, e essa história de desistir do blog?! E eu te respondo: vou desistir! Mas não é do blog físico, mas do blog idealizado na minha cabeça. De toda expectativa e ‘projetos’ que eu tinha do blog. Resolvi que não vou focar e deixar a coisa acontecer. Aqui é um espaço em que eu crio e/ou compartilho conteúdos que eu gosto e não pretendo deixar de fazer isso, porém a neura vai acabar. Vai ser livre, natural e sem pressão.

E o YouTube também continua, ok? Foi uma coisa muito pedida #tomeachando e sinceramente estou curtindo muito fazer. Provavelmente uma vez por semana, mas já aviso que vai ser do jeito “Mudei de Ideia” de ser, assuntos aleatórios, que podem até não focar em um público específico, mas que fazem sentido para mim. Afinal, se eu mudo de ideia, não há nada de mal nisso.

Resumindo: sem neura, só por amor.

Um abraço,

.

.

.

AnaP.*

CONFISSÕES PÓS-POSTSe você ainda tiver ânimo de ler…

P.s. 1 – O pensamento positivo tem que existir e pensamentos bons só fazem bem. Em nenhum momento eu estou dizendo que devemos ser pessimistas ou infelizes sem esperanças. Desejar ‘que dê errado’ é só uma forma de dizer que EU (Anap.) preciso aprender a aceitar o erro.

P.s. 2 – Sabe aquelas famosas ‘crise existencial’? Pois é, escrever foi um caminho que descobri para me ajudar a me entender melhor. Talvez ninguém tenha percebido, mas a cada crise minha, eu faço esses textos tipo reflexão aqui no blog.  Todos foram escritos para me ajudar a aceitar aquele assunto específico. Escrever se tornou meu rito de passagem, eu escrevo, e depois internalizo.

P.s. 3 – Vez ou outra pessoas se identificam com esses textos, e algumas talvez até acham que são indiretas. Mas não se engane. Sou sempre eu jogando na minha cara o que eu preciso ouvir. Se a carapuça te serve, veste e aproveita, mas é só coincidência.

P.s. 3 – E por último, eu até poderia finalizar falando que espero que você tenha gostado do post, mas… não se ofenda, eu escrevi pra mim. Você estar lendo é só um detalhe.

..

.

Mais crises você vê aqui:

Reflexões sobre ser alta

Morar com a mãe aos (quase) 30

Essa tal maturidade 

Coragem é ir com medo

Ser solteira

Procura-se um esposo

Comments

comments

Ana Paula Cândido

Prazer, meu nome é Ana Paula! Obrigada pela visita em meu blog :) Dúvidas, críticas ou sugestões? Fique à vontade para comentar. Ficarei feliz com sua contribuição e prometo que respondo rápido, ok?!