Saudades do Gui…

A vida é uma caixinha de surpresa. A gente planeja uma coisa, mas muitas vezes ela tem outros planos. No sábado passado escrevi sobre saudades, sem saber o que o fim de semana me prometia. Já no domingo eu tinha um compromisso marcado que não aconteceu. Ele não pode vir. Simplesmente chegou a hora dele e ele foi para o céu. Guilherme Henrique da Silva passou em minha vida por pouco tempo, mas com a intensidade de anos. Vivemos momentos maravilhosos juntos dos quais não vou me esquecer.

gui

Eu sou capaz de afirmar que o Gui foi o maior fã que esse blog já teve. Ele lia todos os posts sem exceção, e quando não comentava aqui, comentava comigo por telefone, numa conversa qualquer. No Facebook? Todos as postagens tem seu like, e em algumas vezes, era o seu like… Era o que me motivava, pensava assim: não sei se o ‘mundo’ viu, mas se pelo menos o Gui curtiu tá bom! Valeu a pena o que eu fiz!  Ele dizia que gostava tanto dos meus textos que no seu aniversário fiz um exclusivo e publiquei apenas no Facebook dele…  hoje, fazendo sete dias da sua partida eu deixo aqui a minha homenagem.

Um abraço, AnaP*

P.S. O post que eu cito no início do texto é esse aqui do blog Chata de Galocha.

 

🎈 Você foi a minha melhor pessoa do ano 🎈

Eu li um texto que achei muito lindo e lembrei de você. Nele a menina explicava que aprendeu que todo ano vale a pena porque pelo menos uma pessoa incrível vai aparecer na nossa vida. Até mandei para você e é claro você achou lindo, mas pra mim não foi suficiente: achei é melhor escrever o nosso texto.

Você chegou assim de repente, no susto, sem querer nem perceber. Primeiro pedi ajuda com diários, depois trocamos telefones pelo facebook. A primeira conversa durou mais de uma hora e ali percebi que você era especial. Era uma sintonia muito gostosa, de alguma maneira ou de outra a gente se completa. Eu gosto de filme de menino, você de drama. Simples assim.

Até convite para o aniversário recebi ainda no ano passado, mas por ironia do destino acabei não indo. Acho que foi vergonha, achava que não tinha ‘intimidade’ pra tanto. Chamou só por educação, pensei tipo assim. Mas não era. Era amizade mesmo. Que pena, perdi um festão. As fotos me contaram tudo…

O ano virou e a coisa foi fluindo, a gente saiu aqui, trupicou lá, os amigos foram entrosando e acabou que todo mundo se conheceu. E foi legal assim. Amigos ficando amigos de amigos é muito bom. No meu aniversário de dois anos você estava presente, e no de vinte e nove também. Que coisa né? Parece até que a gente se conhece a anos! É assim que eu me sinto.

Na minha primeira colação como professora você estava lá, na minha mudança de trabalho também. Sem contar nas casas, que tanto que eu mudei, e você também foi lá. Bebi até refri pra te agradar, mesmo que eu já tenha parado de beber há quase dois anos… 

É engraçado ver como a rotina vai trazendo as pessoas para nossa vida, e às vezes de forma brusca tira também. Havia aquele tempo que o novo projeto de vida me permitia te ver quase todo dia. Foram muitos almoços juntos, fazendo coisas de casa, comprando coisas pras crianças ou eletrodomésticos. Parecia até uma casal, só que não. Mas era legal mesmo assim. Todo dia a gente tinha um trem pra fazer, ou eu, ou você, ou os dois. E a gente fazia.

Mas ai as circunstâncias te fizeram voltar pro bairro e agora o que restava era te ligar todos os dias, até 3 vezes se desse. Tinha que estar perto mesmo estando longe, mesmo que a oi não colabore, e o sinal é ruim… o telefone nem sempre chama. Ainda bem que ainda tinha aula, pelo menos nas terças sabia que ia te ver, ou antes ou depois, a gente dava um jeito. Com o tempo diminuimos a frenquência, trabalho novo e muitos ensaios. E no espetáculo, é claro, você estava lá pra me ver.

Depois de pensar isso tudo, tenho um pouco de medo sabe, de pensar que o tempo, ou a falta dele, possa nos afastar. As vezes acontece com pessoas ótimas, mas eu sinceramente não quero. Você é muito pra mim pra isso acontecer. Porque em 2015 você foi a minha melhor pessoa do ano. 

Com você aprendi muito, coisas de professor, coisas de contabilidade, e até da igreja. Sempre que eu precisava, você me dava um socorro. É um modelo de homem e exemplo de pai (afinal você é um pai para suas irmãs, eu pelo menos acho…). Sempre de alto astral e disposto para qualquer coisa. No dia que te vi triste não acreditei, e pra falar verdade, me assustei. Mas ainda bem que passou, alguns copos de cerveja (ou de cappuccino) ajudam muito.

Infelizmente esse será mais um aniversário que não vou poder estar junto. E mesmo não gostando de comemorar antes, vamos estar junto mais uma vez. Provavelmente a última vez de 2015, mas não tem problema, 2016 está ai e teremos mais 365 para ser amigos. Agradeço à Deus pela sua vida, pois ela é muito importante na minha, pode ter certeza disso. Feliz Aniversário adiantado!

ps: queria escrever mais… são muitas memórias, mas ia acabar virando um livro…

Comments

comments

Ana Paula Cândido

Prazer, meu nome é Ana Paula! Obrigada pela visita em meu blog :) Dúvidas, críticas ou sugestões? Fique à vontade para comentar. Ficarei feliz com sua contribuição e prometo que respondo rápido, ok?!